Buscar

Tendências para Alimentação: devo investir em sustentabilidade?



Por sermos uma sociedade viva, estamos em constante mudança e adaptação. Essa verdade se aplica a tudo que fazemos, e o setor de alimentos e bebidas não fica de fora.

Segundo o Brasil Food Trends 2020, pesquisa lançada pela FIESP em parceria com o Instituto de Tecnologia e Alimentos (ITAL), todos os negócios que lidam com alimentação precisam estar abertos à transformação e à inovação para atender aos desejos de um consumidor cada dia mais exigente em relação aos produtos que consome.


Principalmente hoje, em um mundo extremamente conectado e atento aos diferentes movimentos globais, o acesso à informação por parte dos consumidores tem sido crucial para ditar novos comportamentos e padrões de consumo.


A Indústria de Alimentos se vê diante de consumidores cada vez mais exigentes e bem informados. E por ser um dos setores mais gigantes do Brasil, responsável por 20% da geração de empregos no país e responsável pela movimentação de quase 130 bilhões de reais entre 2004 e 2008, não é possível ignorar o aumento de demandas mais exigentes.

Por isso, é preciso estar atento à necessidade de transformação constante.


As tendências da alimentação


A palavra tendência pode ser definida como a propensão dos indivíduos em modificar hábitos já estabelecidos. Ela é o resultado de um conjunto de fatores e conjunturas econômicas, sociais, culturais e políticas que se traduzem em influência na vida das pessoas. Assim como qualquer outro aspecto da vida humana, a alimentação também é influenciada por esses fatores e se encontra em constante transformação.


No mundo inteiro, diversas tendências do consumidor final já foram percebidas como importante propulsor de novos hábitos e processos no ramo alimentício e gastronômico. De acordo com um compilado de pesquisas e estudos realizados mundo afora, foi possível observar certa predominância de temas que dizem respeito às principais tendências do setor alimentício, seja para a produção, seja para os serviços prestados neste segmento.


As principais tendências internacionais estão apresentadas no relatório da Brasil Food Trend 2020 e podem ser agrupadas nas cinco categorias:


  1. Sensorialidade e Prazer

  2. Saudabilidade e Bem-estar

  3. Conveniência e Praticidade

  4. Confiabilidade e Qualidade

  5. Sustentabilidade e Ética


Para entender um pouco melhor o perfil do consumidor brasileiro e comparar com os resultados internacionais, uma pesquisa foi realizada pelo IBOPE nas nove principais regiões metropolitanas do Brasil.


De acordo com o que já era esperado, os dados da pesquisa revelaram que o Brasil tem forte aderência às tendências de consumo de alimentos encontradas em outros lugares do mundo. Três delas são similares às globais, uma é a união entre duas observadas nos estudos internacionais - nesse caso, Saudabilidade e Bem-estar e Sustentabilidade e Ética.



Tendência de Sustentabilidade e Ética: Uma das Grandes Apostas


Comer bem fazendo o bem: uma das frases presente na pesquisa nos diz muito sobre essa tendência.


Aos poucos, as pessoas estão percebendo que a relação que possuem com sua alimentação (e seu consumo) é muito mais política do que imaginavam. O poder de selecionar entre quais são os insumos que consomem ditará cada vez mais a prática de consumo desse novo cliente. E da onde vieram, quem os produziu, como eram seus processos...


Não é à toa que podemos observar um crescimento significativo no consumo de produtos naturais e orgânicos. Além disso, produtos que são produzidos por fairtrade, vinculados à causas sociais, ou que destinem uma porcentagem dos seus ganhos para estas também têm ganhado a atenção e a aderência dos consumidores. O próprio fairtrade movimentou mais de 2 bilhões e meio nos Estados Unidos e Europa em 2006. O que está diretamente ligado à preocupação dos consumidores com meio ambiente, pobreza e bem estar humano e animal.



Diferente das outras tendências que proporcionam benefícios diretos para o consumidor final, na tendência ligada à sustentabilidade o consumo ganha outras dimensões. Aqui está em jogo o bem-estar coletivo, e aspectos como o consumo solidário, a preocupação com os impactos sobre o meio ambiente, incluindo a gestão correta dos resíduos, e com o comportamento ético passa a ser levado em consideração.


Assim, o consumidor estará apoiando iniciativas positivas para a sociedade no seu dia a dia.


De acordo com a pesquisa, “os consumidores estão se tornando receptivos aos produtos que provoquem menor impacto sobre o meio ambiente, valorizando embalagens recicláveis, produtos fabricados por empresas que contribuem para a preservação do meio ambiente e produtos fabricados por meio de processos sustentáveis.”


Por isso é tão essencial que estabelecimentos gastronômicos se adaptem a essa nova realidade. O consumidor final está valorizando cada vez mais ambientes que contribuam para causas sociais, e que demonstrem preocupação com o meio ambiente. Práticas como a correta gestão dos resíduos, a compra de alimentos de produtores locais, a redução do consumo de plástico, a valorização do trabalho humano e a escolha por fornecedores com práticas sustentáveis estarão cada vez mais na mira dos consumidores.


Quer conversar com a Teiares para saber como podemos te ajudar nessa adaptação? Entre em contato com a gente através desse link que responderemos o mais rápido possível!


28 visualizações0 comentário