20220413_112115_edited.jpg

PESSOAS SÃO A BASE DA TRANSFORMAÇÃO

Hanna Rodrigues

Hanna Rodrigues é bióloga formada pela Universidade Técnica de Munique (TUM), e especialista em Gestão Urbana e Saúde pela FIOCRUZ e em Responsabilidade Social e Terceiro Setor pela UFRJ. 

 

Atua na gestão de resíduos sólidos desde 2012. Trabalhou por dois anos na COMLURB, no Programa de Ampliação da Coleta Seletiva, e possui experiência em operações de limpeza e gestão de resíduos de Mega Eventos, como Olimpíadas e Rock in Rio. 

É fundadora da Teiares.

WhatsApp Image 2021-03-24 at 08.42.32 (1).jpeg
WhatsApp Image 2022-05-02 at 09.31.21.jpeg

Claudia Khair

Claudia Khair é engenheira eletrônica formada pela PUC-Rio e mestre em Engenharia Urbana (UFRJ), com especialização em Gestão Ambiental. Atualmente, é Doutoranda em Engenharia Ambiental (UFRJ).

Após 16 anos de experiência corporativa e mais de 7 anos em projetos de consultoria na área ambiental, é atualmente sócia da Teiares. Especialista em gestão de resíduos sólidos, com foco em logística reversa de eletroeletrônicos e embalagens.

Como tudo começou...

A Teiares nasceu em 2018, dentro de uma cooperativa da catadores, a COOPAMA.

Ter seu próprio negócio, entretanto, nunca foi um sonho da Hanna, como acontece com muito empreendedores.

A Teiares surgiu de uma necessidade. A necessidade de adotarmos práticas mais sustentáveis e justas para a cadeia da reciclagem, em especial, para as cooperativas de catadores.

Sempre houve uma certeza: implantar a coleta seletiva em empresas e condomínios só faria sentido se fosse com a participação, o protagonismo e a remuneração dos catadores.

Assim, em 2018 implantamos a coleta seletiva em nosso primeiro cliente, um restaurante em Botafogo.

De lá pra cá, a Teiares cresceu, expandiu sua rede de coleta, aprimorou seus serviços e aumentou seu impacto, virando referência em gestão de resíduos no Rio de Janeiro.

Nosso Movimento

A VIDA É CICLO

São os ciclos naturais que determinam as formas de existir em nosso planeta e que permitem a manutenção da vida como a conhecemos.

Somos ciclo de células, moléculas e átomos que permitem a continuidade de um sistema muito mais complexo do que a nossa própria existência.

Ao longo da evolução da nossa espécie, nos distanciamos dessa essência da natureza e passamos a ditar o nosso próprio ritmo, consolidando novos padrões de convivência e produção.

Isso transformou a nossa relação com a natureza.

NENHUMA RELAÇÃO SE SUSTENTA SEM EQUILÍBRIO

Nossa relação com a natureza está em desequilíbrio. Extraímos recursos de maneira predatória e fomentamos um modelo linear de produção e descarte. Nossos recursos e nossos resíduos não são lixo:

São nosso maior bem e precisam retornar ao ciclo produtivo.

 

A economia circular é o único caminho

para um futuro possível. Nessa complexa cadeia circular, cada etapa tem sua importância e cada pessoa tem o seu valor. Reconhecer o trabalho dessas pessoas é o primeiro passo para garantir a regeneração do planeta.

PESSOAS SÃO A BASE DA TRANSFORMAÇÃO

Por trás de todo resíduo descartado e reciclado no Brasil, existem pessoas envolvidas.

São Marias e Pedros que retiram o plástico dos rios e o alumínio das ruas diariamente. São catadoras e catadores que cuidam do nosso resíduo e que são fundamentais para que a economia circular aconteça.

 

Ao mesmo tempo, são essas pessoas as menos valorizadas nessa cadeia. Precisamos mudar essa realidade e romper com as práticas de injustiça social para promover uma sociedade mais justa e sustentável para todos.

Nossas práticas revelam

nossos valores

Audácia para transformar

Regeneração do planeta

Valorização do trabalho humano

Busca por equidade social

Colaboração na construção de soluções