Buscar

Restaurantes e Economia Circular

Atualizado: Mar 2



Economia circular é um conceito bem comum na atualidade. Principalmente porque nosso modelo de produção e consumo está esgotando a vida do planeta. Por isso, novas soluções criativas e sustentáveis precisaram ser desenvolvidas, e são necessárias para que esse modelo seja freado.


Com a Revolução Industrial, o desenvolvimento de tecnologias industriais e a padronização dos processos produtivos permitiram produzir mais bens e mais rápido, consolidando e propagando um modelo linear de produção e consumo.


Essa cultura do consumo, baseada em extrair, transformar, utilizar e descartar, foi se tornando parte do nosso dia a dia, da nossa realidade, nos programando para comprar sempre algum produto novo. Se você já leu o clássico "Admirável Mundo Novo" do Aldous Huxley consegue ter uma imagética bem clara de como ou porque funcionamos assim. No natal, queremos uma roupa nova para vestir durante a ceia. No nosso aniversário, queremos sempre ganhar algum presente ou mimo novo. E quem nunca ouviu sua avó reclamar que as geladeiras de hoje em dia não duram nada? Quando antigamente possuíam uma vida útil de mais de 20, 25 anos.


Como consequência, passamos não só a consumir mais como também a descartar mais.


O fato é que esse modelo tem se demonstrado insustentável do ponto de vista ambiental e social, e já passou da hora de ser substituído por algo mais harmônico para a convivência entre as pessoas e os ecossistemas da terra.


O ponto positivo é que tanto empresas quanto consumidores possuem um poder enorme de transformar essa realidade para caminharmos rumo a uma economia mais circular.


O futuro caminha para a Economia Circular. Mas o que é isso?


Não existe mais espaço para desperdício no planeta. Talvez possamos pensar que uma pessoa, durante 1 ano, não desperdiça tanta coisa assim. Mas o que acontece quando multiplicamos esse número por 8 bilhões?


Por isso, já a alguns anos, se tornou urgente que repensemos não só o modo como os consumidores se relacionam com os produtos que compram, mas também como as indústrias e os comerciantes encaram seus produtos e processos. Como esse item é feito? De onde veio sua matéria prima? Qual sua vida útil? O que acontece com ele quando essa vida útil acaba?



Fonte: Boomera. Imagem retirada da coluna Economia e Negocios do Jornal Estadao no link: https://www.estadao.com.br/infograficos/economia,por-que-mais-empresas-apostam-na-economia-circular,1117170


Segundo a Ellen MacArthur Foundation, "a economia circular é uma atividade econômica que contribui para a saúde geral do sistema". Ela está pautada em três princípios importantes:


1.Eliminar resíduos e poluição desde o princípio

2. Manter produtos e materiais em uso

3. Regenerar sistemas naturais


"O conceito reconhece a importância de que a economia funcione em qualquer escala – para grandes e pequenos negócios, para organizações e indivíduos, globalmente e localmente. E vai além: não se limita a ajustes visando a reduzir os impactos negativos da economia linear. Ela representa uma mudança sistêmica que constrói resiliência em longo-prazo, gera oportunidades econômicas e de negócios, e proporciona benefícios ambientais e sociais."


Com a implementação de uma Economia Circular, diminuímos a extração e o uso de matérias-primas virgens no mundo e a quantidade de resíduo descartado, mantendo os recursos naturais no ciclo de produção. Além disso, geramos e movimentamos toda uma economia que está por trás da correta destinação e tratamento desses resíduos.


Como restaurantes podem praticar a Economia Circular?

  • Implantação de sistema mais inteligentes de gestão e descarte de resíduos

Implantar a coleta seletiva e a destinação dos resíduos orgânicos para a compostagem é um dos primeiros passos para quem quer ingressar na Economia Circular. É uma prática com ganhos ambientais e sociais enormes, gerando, principalmente, a preservação de recursos naturais a partir da reciclagem e compostagem.


Além disso, ela já é adotada por muitas empresas e restaurantes, então não faltam conteúdos e experiências práticas que podem te ajudar e servir de exemplo e inspiração! O grande objetivo aqui é evitar que o lixo precise ir para aterros e lixões, destinando ao ciclo produtivo tudo o que pode ser reaproveitado.


  • Manter produtos e bens em utilização por mais tempo, através de uso e reuso

Aqui é importante olhar para o processo produtivo do restaurante, para entender o que pode ser otimizado e como alguns itens podem ser utilizados mais de uma vez, sem perderem sua função. Nessa etapa atuamos antes da geração de resíduo e nos preocupamos, já na concepção do projeto e da aquisição de itens, em como e por quanto tempo cada produto e bem pode ser utilizado. Um exemplo clássico são os potes e vasilhames de vidros que, após devidamente esterilizados, podem ser reutilizados para guardar alimentos e produtos sem perderem sua utilidade.


  • Serviços e produtos compartilhados

Já conhece o conceito da economia colaborativa? Também chamada de economia de compartilhamento, ela tem como proposta facilitar o compartilhamento e a troca de serviços e objetos, evitando um consumo desnecessário de alguns itens e produtos.


É aquela velha história: você precisa de uma furadeira ou de um furo na parede? Quando começamos a entender qual a nossa real necessidade, percebemos que muitos serviços e bens poderiam ser compartilhados com parceiros de negócios, sem qualquer prejuízo de nossa parte. Muito pelo contrário, o compartilhamento pode ser mostrar uma estratégia inteligente de redução de custos e otimização de recursos.



Além de todo o impacto positivo que você irá proporcionar para o meio ambiente e para a sociedade, essas práticas de economia circular nos fazem repensar conceitos e paradigmas e estabelecer um novo tipo de relação com o consumidor.

O objetivo que é todos saiam ganhando!!


23 visualizações0 comentário